Vem conhecer dois caras que transformaram unicórnios e apocalipses em histórias repletas de críticas sociais em mais um post sobre indicações de quadrinistas para conhecer no Artists’ Alley da CCXP. 

Juscelino Neco – Mesa E02

Juscelino Neco e Felipe Parucci na CCXP18

Infelizmente não encontrei o Juscelino Neco na CCXP17, o pessoal que estava ao lado da mesa dele disse que de última hora ele não pode ir, mas eu queria muito encontra-lo pra falar “cara, que HQ sensacional você fez!”.

“Matadouro de Unicórnios” é uma mistura de critica social, crime policial, e violência, mas também é muito divertido, te surpreende de vários modos, e calma, não é sobre um lugar que coloca unicórnios vindos do espaço pra virar carne moída.

Gonçalo Alcântara é um escritor comum, com uma vida comum, com dívidas e precisa pagar as contas. Então, Gonçalo aceita ajudar um entrevistador a escrever sobre um serial killer e vai com ele até a prisão para entrevista-lo, e durante esse trabalho (que no começo só aceitou pelo dinheiro)  começa a ter idéias de como mudar a sua vida, e vai mudar para algo nada comum.

Não quero dar nenhum pequeno spoiler aqui para não estragar a experiência de leitura. Só digo que vale muito a pena. Além disso, a arte é ótima, direta e combina com o HQ. Quero conhecer o Juscelino e conversar sobre “Matadouro de Unicórnios” e seus outros trabalhos. 

Felipe Parucci – Mesa H14

“Apocalipse, por favor.” Quem nunca disse isso, seja num momento de fúria, vendo injustiças pelo mundo, lamentando o rumo em que nossa sociedade está segundo, por toda a hipocrisia ou quando o suporte rouba sua kill no lolzinho?

A HQ “Apocalipse, por favor”, é uma critica social divertida, e realmente você ri conforme lê a HQ. Os nomes que o Felipe usa para algumas coisas são muito bons. Alguns personagens na HQ falam de forma direta sem se importar com ninguém, como no caso de um político.
A HQ tem 3 eixos principais, é um político corrupto, um casal que está passando por problemas, e um cara que tem problemas pra conversar com mulheres.

A história tem como centralizador, um meteoro caindo na Terra e se não for feito nada, o mundo vai acabar. Então o governo dos EUA convoca os lideres do mundo para falar sobre o problema e o que pode ser feito. É engraçado e trágico a maneira de como esses políticos não se importam com a população e só fazem as coisas pra si. E isto é a visão que os políticos, em geral, nos passam.
E enquanto o meteoro vai chegando perto da Terra, a HQ vai mostrando como os personagens reagem ao fenômeno.

Os outros personagens da história também são muitos bons, como um médico que receita o mesmo remédio pra todo mundo e só aumenta a dose, uma outra crítica para a nossa sociedade.
“Apocalipse, por favor”, é como se você escutasse uma piada que você achou muito boa e quer sair contando pra todo mundo, ou quando você assiste um filme e quer que todo mundo assista.

Felipe Parucci também tem outras HQS: “AutoAjuda”, “Já era”, que ainda não tenho, mas pretendo pegar. E recentemente estava no catarse seu novo projeto chamado “Enxaqueca” que será lançada na CCXP18.

Essas são mais duas recomendações de mesas para vocês passarem no Artists’ Alley. Eu, ainda, não conheço o Felipe pessoalmente, mas quero conhece-lo na CCXP e chama-lo para tomar um Apocalipse.

One thought on “Juscelino Neco e Felipe Parucci na CCXP18”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *