Faltam alguns meses para o evento mais épico do ano, a CCXP19, mas os anúncios já começaram e até mesmo alguns tipos de ingressos já esgotaram. Que tal ir conhecendo os artistas já confirmados?

Pega papel e caneta, anota os nomes, procura suas HQs, que agora é hora de falar de umas coisas mais divertidas da CCXP: conhecer os quadrinistas, conversar com eles, pegar o autógrafo que vai deixar seu quadrinho mais especial ainda e claro, tirar uma foto para guardar de recordação.

Eduardo Risso já deu o ar de sua graça na CCXP16 e foi a fila mais longa eu peguei: foram 3 horas de fila! O motivo? Ele estava fazendo sketch de graça para todos que estavam indo em sua mesa. Eduardo e sua esposa são duas pessoas super simpáticas. E em 2016, foi o artista internacional que eu mais gostei de conhecer.

CCXP19| Eduardo Risso e Frank Quitely

Eduardo nasceu em 1959, em Leones, na província de Córdoba, na Argentina, e iniciou sua carreira como ilustrador do jornal “La Nación”, em 1981. Algum tempo depois, publcou diversos de seus trabalhos em revistas como “Eroticon” e “Satyricon” pela Editora Columba.

Alguns de seus trabalhos mais conhecidos incluem “Cain”, “Parque Chas”, “Fulú”, “Simón”, “Video Noir”, “Borderline”, “Boy  Vampiro”, “Luan Roja”, “Chicanos”, “Tales of Terror”, “Alien Resurrection”, “Jonny Doublé”, “100 Balas”, “Homem do Espaço”, “100 Balas – Irmão Lono”, “Logan”, “Batman : Preto & Branco”, “Batman: Cidade Castigada”, “Batman: O Cavaleiro da Vingança” e “Noite de Trevas – Uma História Real do Batman.”

Eduardo atualmente trabalha no quadrinho “Moonshine”, ao lado de Brian Azarello, e “Torpedo 1972”, ao lado de Enrique Sanchez Abulí. Além disso, foi ganhados dos prêmios Eisner (2001, 2002 e 2004), Harvey (2002, 2003 e 2008), Yellow Kid (2002) e Inkpot (2017, por sua colaboração aos quadrinhos internacionais).

Desde 2010, é presidente do Comitê Organizador da Crack Bang Boom, convenção internacional de histórias em quadrinhos que ocorre na cidade de Rosário, na Argentina, que conta com exposições, painéis e oficinas com artistas argentinos e internacionais.

Frank Quitely também esteve na CCXP16, mas ao invés de ficar nas mesas do Artists’ Alley, ele ficou no estande da Chiaroescuro, ou seja, a dinâmica para chegar até ele, foi um pouco diferente. Era necessário pegar senha, o que gerava uma organização maior, mas menos pessoas eram atendidas.

Frank é um cara alto astral, de sorriso fácil e muito simpático.

Frank Quitely iniciou sua carreira como roteirista e ilustrador no mercado de quadrinhos no fim dos anos 80.

Seu primeiro trabalho foi no quadrinho underground “Electric Soup”. Em seguida, trabalhou nos quadrinhos do Juíz Dredd publicados no Reino Unido, além de ter passado por editras como DC Comics, Marvel e Image Comics.

Dentre seus trabalhos mais famosos estão “Os Novos X-Men”, “Sandman: Noites Sem Fim”, “We3 – Instinto de Sobrevivência”, “Superman – Grandes Astros”, “Batman & Robin” e “O Legado de Júpiter”.

Recentemente, Frank voltou a roteirizar e ilustrar seus próprios quadrinhos.

Por aqui, já estamos separando as nossos quadrinhos para ganhar autógrafos! E se você ainda não garantiu seu ingresso, corre que ainda há alguns disponíveis no site oficial da ccxp!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *