Bad Omen 3: Sanguinus – o submundo das criaturas sobrenaturais

Bad Omen 3: Sanguinus – o submundo das criaturas sobrenaturais

Bad Omen 3: Sanguinus é o terceiro volume das histórias em quadrinhos da artista Alice Monstrinho, no qual é a bordado a relação de lobisomens e vampiros, mas não somente as questões físicas, mas principalmente, aborda as questões mentais de seus personagens.

O terceiro volume de Bad Omen continua com os eventos que se sucederam após os Bad Omen 1 e 2.

Bad Omen 3: Sanguinus - o submundo das criaturas sobrenaturais

No volume 3, gostaríamos de saber se nossos personagens favoritos, Kanayla e Barry ainda estão em unidade de desígnios.

E este é o momento que temos a oportunidade de de ver os dois lutando juntos, mas não somente envoltos por pancadaria, mas também, expondo, mais ainda, as brechas de suas fragilidades.

Kanayla e Barry precisam se unir para derrotar um inimigo em comum o mais rápido possível.

Mas para isso, é necessário que eles também se separem e cada um siga a sua parte do plano.

Barry se infiltra em uma gangue de vampiros, chamada Sanguinus, que possuem o objetivo de prender humanos para entregá-los para vampiros influentes.

Yule é o lider do grupo, antigo conhecido de Barry, que pode acabar ajudando a encontrar o vampiro Attila, que destrói vidas por onde passa e alvo de Barry e Kanayla.

Tudo certo. E algo que a gente não imaginava acontece: duas pessoas se beijam. Minha reação foi “QUÊ??”. Já quero saber qual a história por trás desse relacionamento e a história individual de cada personagem.

O volume 3 possui uma linearidade mais diferente. Se parece com uma investigação, de saber em quem confiar para dar e pedir informações. Se parece como uma corrida de gato e rato, um se esconde e logo sai quando o outro desaparece, e todo momento é um momento de atenção. Ganha, o mais esperto e o mais rápido.

Ah, e como se já percebe na capa, há um personagem novo na história, mas não só um, são vários personagens que serão fundamentais para o desenvolvimento dos acontecimentos, nos apresentando, também, outras peculiaridades dos seres sobrenaturais.

A história traz grandes surpresas, acrescenta novas pessoas com novas personalidades e podemos ver o quanto Barry e Kanayla cresceram durante um curto espaço de tempo.

Outra detalhe que eu gosto muito em HQs são as folhas finais que mostram um pouco do processo de criação. A Alice faz isso desde o primeiro Bad Omen, mas neste, ela se superou! Ela conta o que ela queria transmitir com cada personagem e como criar as suas características e vestimentas são elementos essenciais para a história. A Kanayla é minha personagem favorita, mas entre os novos, o Yule ganhou meu coração.

Bad Omen não é somente uma história de vampiros e lobisomens, é uma história sobre aceitação, sentimento de pertencimento de um grupo, justiça e fidelidade aos seus princípios e história.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *